QUEM TEM NOME FORTE, NÃO PRECISA DE TÍTULO

QUEM TEM NOME FORTE, NÃO PRECISA DE TÍTULO

A palavra de Deus diz que “é melhor dar do que receber”. Se ficarmos retendo o que estamos aprendendo, nosso cérebro chegará a um limite e não aprenderemos mais. Se quisermos aprender, crescer e ter autoridade, precisamos começar a transbordar.

 

Transbordo é um processo natural

Podemos dizer que existem 3 níveis para o transbordo. O primeiro é o da escassez. Este estágio pode ser representado por uma caixa d’água, pela qual a água vaza por baixo dela. Quando isso acontece, ela está escassa. O segundo é o nível da abundância, quando ela não vaza. A água entra, enche a caixa e para de entrar. O último é o transbordo, onde a água entra mais do que a capacidade da caixa d’agua e jorra por cima.

A escassez funciona quando a mente está presa no cérebro. Nosso cérebro é um campo físico, onde se consegue colocar o dedo. Quando nossa mente está explodindo, não devemos ficar retendo dentro de nós. Se de fato queremos transbordar, teremos de ir além da nossa capacidade.

 

A capacidade é um limite cerebral e a potência é o transbordo

 

Eu te desafio a me mostrar alguém que prosperou sem transbordar. O transbordo é aquilo que passa do limite. Então, diga “Eu vou explodir os meus limites”. Se isso acontecer, começaremos a conhecer a potência que há em nossas almas, e ela é um campo de energia. Quando acordamos cedo todos os dias, entendemos que, se quisermos, vamos prosperar de forma assustadora.

 

Mas como acontece o destravar para começar a transbordar ?

 

O destravar é natural, não é pegar uma técnica. Como é natural, algo acontecerá. Se estamos a fim de avançar, vamos renunciar aos limites e faremos com que o transbordo os ultrapasse. A capacidade é relativamente boa, mas seu cérebro é limitado. Estou convocando um exército de generais para destravar a mensagem nessa geração. Bora tocar o terror?

 

Como alguém vai acreditar se não há quem pregue?

 

Por muitos milênios, as pessoas só acreditavam em quem tinha título para falar. Agora vou soltar um código pesado e quero que você tome nota: quem tem nome forte, não precisa de título! A geração da revolução industrial foi doutrinada a valorizar os títulos, o QI (quociente de inteligência). O problema é que quando valorizamos o QI, esquecemos o relacionamento, desvalorizamos quem não conseguiu um título, logo fazemos uma nova versão de gente. Essa foi uma grande falha da humanidade. Não precisamos achar que somos aquilo que estudamos ou o que alguém disse. Somos o que Deus disse que somos.

O processo de transformação é em “cascateamento”, que é o próprio transbordo. Sai da nossa gestão, das nossas limitações e capacidade. Quando eu transbordo para você, é necessário que você faça o mesmo com outras pessoas.

A experiência no transbordo é tão forte que nos vicia. Quanto mais transbordo acontece, mais prósperos ficaremos.

 

Por que isso acontece?

 

Vamos trocar a analogia da caixa d'água para um rio. Quando o rio enche, não segura mais as águas, ele não manda mais nelas. Com isso, o transbordo é obrigatório. No momento em que entendemos isso, passa a fazer sentido que a prosperidade é natural e que a pobreza é resistência. Ser artificial é ser resistente com o que é natural. O que flui através de nós, vai alimentar muitas pessoas. Pode ser em forma de conteúdo, produto, serviço, acesso, o que seja. Precisamos servir pessoas.

O grande segredo do transbordo é não nos importarmos com a nossa capacidade. Diga: “eu não me importo com minha capacidade”. Se nos importarmos com ela, logo deixaremos de transbordar. Por exemplo, é muito comum as pessoas terem um bloqueio de criatividade. Fomos doutrinados a sermos como uma máquina que responde às configurações e, algumas vezes as pessoas não nos compreenderam e acabaram nos travando. Nossos professores não fizeram de maldade. Alguns deles estavam em dias ruins, aproveitaram para nos bloquear. Talvez algumas pessoas tenham sido más contigo, mas fizeram isso porque precisavam descontar em alguém. Talvez você tenha sido chamado atenção na frente de alguém e, isso te deixou com medo, vergonha da exposição e algo aconteceu dentro de você. Com isso, simplesmente paramos de transbordar.

Olho para meus três filhos e penso “Quem vai ser a pessoa que vai bloquear aqueles generais?”. Não tenho medo de eles serem bloqueados. O que tenho é um olhar bem cirúrgico para remover os bloqueios bem rápido, pois um bloqueio trava uma vida inteira, trava uma geração. Aí está a chave, uma geração inteira tem sido bloqueada para não fazer aquilo que Deus chamou.

Você tem uma ferida, a do “por quê eu não explodi na Terra ainda?”. Porque está sem ideias, não conectou em novos lugares, nem com novas pessoas. Vários alunos dos meus cursos quando dizem que não estão dando resultados, rapidamente respondem que estão fazendo as tarefas presentes em todos os nossos cursos. E eu tenho absoluta certeza de que não estão. Algumas gostam de mentir, então, vou lá no software do curso para ver se estão cumprindo as tarefas, e vejo que nem nas aulas estão entrando. Porém, mais importante do que isso, é a tarefa da vida real, do relacionamento. Isso as pessoas não estão cumprindo. Eu entendo que se você fizer tarefas e não se conectar com pessoas na mesma frequência que a sua, não vai funcionar.

Existe um segredo no transbordo, temos que andar com pessoas para aumentar a volumetria, a quantidade de conteúdo e de ações. Então, essa volumetria, por si só, vai fazer uma explosão e será algo exuberante. É aí que está o código. Se de fato queremos explodir, só precisamos ser naturais. Pois, quando somos naturais, acumulamos energia e não haverá como não explodir.

 

 

Você deve estar se perguntando, o que é explodir na vida?

 

 

É o destravar de uma nova fase. Quando se fala em explodir, há dois sentidos: ou alguém está nos despedaçando pelos ares, ou estamos tão fortes volumetricamente que seremos obrigados a avançar nesta camada. A camada da nossa crença vai explodir.

Estou determinado a destravar a mensagem que há em seu coração. Essa mensagem é o que importa. Ao criar a Terra, Deus colocou pedras preciosas que estão guardadas no solo. E nós, do mesmo modo, viemos da terra e há algo que talvez você nunca tenha ouvido. Você é alguém muito precioso. E há coisas que Ele colocou apenas em seu coração.

 

 

Você é insubstituível!

 

 

Existe uma teoria que diz que as pessoas são substituíveis. Isso não é verdade, pois não somos coisas. Deus pode sim chamar outras pessoas para fazerem o que Ele quer, mas o fato é que Ele não vai nos substituir porque não somos peças. Somos fruto do relacionamento com Ele, da vontade permissiva do Criador, da misericórdia e do amor “dEle”. Por isso, não há como nos substituir. Não fomos feitos em uma indústria, não somos alguém que pode dar defeito e que se coloca outra coisa no lugar. As pessoas que falam isso têm esse tipo de experiência de vida, por isso, gostam de falar que Deus vai nos trocar. Na verdade somos nós quem não queremos assumir o nosso propósito. E como as coisas não param de funcionar, outras pessoas se levantam. Pois, Deus está focado em seu povo. É um resgaste e, se não respondermos, não significa que Ele vai usar outro. Ele apenas vai continuar transbordando e outras pessoas vão responder. É diferente. Ele não está nos substituindo.

Ao entender que toda a “treta” que tem com Deus, com as outras pessoas e todo tipo de trauma é só em relação a você, isso vai começar a te destravar. O mais interessante com relação ao destravar é que uma simples frase, que ainda não saiu da nossa boca, vai destravar uma geração. Um código que não foi desenterrado de dentro de você vai sair. As pessoas gostam de ser perfeitas, mas não existe perfeição nesta geração. Não somos perfeitos, mas Ele é. E ele te usa na sua imperfeição. Se quiser explodir para a próxima camada, terá que bater no teto dela.

 

O transbordo é uma colheita

 

Quando plantamos somente o quanto queremos comer, viveremos plantando. Logo, sobreviveremos do nosso próprio esforço. Precisamos entender que temos que plantar e, ao mesmo tempo, ajudar as plantações em volta, isso é transbordar. Muita gente não entende, pois abro os códigos para todos que vêm se conectar comigo e com quem tenho afinidade. Enquanto escrevo este artigo, estou há mais de setenta dias ensinando coisas poderosas na Internet. Na Medida em que queremos avançar, nada pode nos segurar. Mas precisamos abandonar nossa capacidade.

Minha intenção quando abro meus códigos é reproduzir uma história que ouvi de um grande agricultor que tem o melhor tipo de milho em sua região. A melhor semente é dele e eu descobri a razão de isso acontecer. A fazenda desse agricultor fica no centro geográfico de um município e ele dá sementes de boa qualidade para os vizinhos, pois sabe que semente barata não vinga. Ela vai dar um fruto barato. Quando o agricultor começou a dar a melhor semente para os vizinhos, as plantações de milho ao redor eram de sementes verdadeiras, com vida. Sabe aquela semente que faz o fruto voltar grande e graúdo? Então, entenda o que acontecia: as abelhas entravam nas outras fazendas e depositavam o pólen na dele. Ele garantia que as pessoas plantariam sementes de qualidade e o pó das plantações chegaria à sua fazenda. Ele tinha o melhor milho, pois em torno dele já estava sendo muito bem plantado. Parece que estamos gastando nossos recursos, mas na verdade estamos investindo para continuar crescendo. Quando investimos no que Deus ama, não tem como dar errado!

 

Não tenha compromisso com o erro!

 

Devemos aceitar o que Deus falou, o resto é equalizar de acordo com o projeto. Não tenha compromisso com o erro. Há pessoas que se casam com seus erros. É preciso voltar atrás. O diabo ama essa geração porque ele arrumou um jeito de travar todo mundo logo na infância. Assim, na vida adulta, não saberemos como destravar. É como amarrar um elefante desde pequeno, ele cresce e passa a vida toda achando que aquela cordinha o segura. Sua corda já arrebentou e você nem sabe. Chegou a hora de avançar e explodir.

Estou em busca de pessoas para passar todos os códigos, a fim de que a mensagem corra mais rápido. Quanto mais rápido ela correr, mais estrago produzirá nesta geração. Nós temos o poder de estraçalhar as hostes malignas através de um batalhão. Se alguém for colocar num livro de história os grandes feitos que faremos com um mover, não entenderemos a perturbação que ocorrerá. Vamos restaurar casamentos, lares, criação de filhos, recuperar empresas, incentivar pessoas, ativar filantropos, vamos destravar pessoas e transformaremos outras através de uma mensagem, vamos atacar esta geração.

 

O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males!

 

Achamos que precisamos de sucesso. O código é que ninguém precisa de sucesso. Pensamos que necessitamos de dinheiro. Novamente, estamos usando isso como raiz das coisas. A palavra é bem clara quando diz que o dinheiro é a raiz de todos os males. Mas, não o dinheiro em si, é o amor ao dinheiro, a atenção que damos a ele, amor a uma coisa que não faz sentido. Não devemos amar coisas, mas as pessoas. As pessoas que dizem que não suportam outras pessoas, na verdade não se amam.

Não é sobre fazer dinheiro, ele nos será devolvido, pois é um instrumento para conseguirmos chegar mais longe. Todas as vezes que Jesus precisou de algo, ele não ficava burlando as leis, ele praticava a fé. Toda as vezes que ele tinha que resolver algo e não tinha dinheiro, alguém resolvia para ele. Quando precisou de entrar num túmulo de rocha, se dependesse de um dos discípulos ou, de alguns de nós até ontem, ele teria ficado lá na cruz. Só que, alguém rico, José de Arimateia, com influência no governo para pedir o corpo, usou lençol limpo e de linho e, por fim o colocou na sepultura. Começamos a perceber que o dinheiro não é mal. O problema são as pessoas más que colocam a mão no dinheiro. Essa geração vai experimentar um ato histórico. Nós todos estamos marchando em direção à mesma coisa.

A ignorância acontece quando não aceitamos aquilo para o qual Deus nos chamou. 

Vou te contar alguns problemas do nosso batalhão. A maioria não conhece a própria identidade. Todos estão bloqueados com algum bloqueio emocional. Quase todos não têm clareza no propósito. A maioria depende emocionalmente dos outros. Muitos têm medo de ferramenta, na antiguidade, por exemplo, usavam-se espadas, hoje se usa tecnologia. Se não abrirmos nossas bocas e corações, nenhum rio vai fluir de verdade nas pessoas. Esse movimento vai ter mais pressão do que as histórias de Alexandre, O grande. Não sou grande, mas o que vem atrás de mim é muito maior. Nós estamos a serviço “dEle”. Vou fazer você perceber que você é do mesmo nível que eu. Há um exército se levantando, que é o da última hora e vai provocar um destravar na Terra.

Muitas pessoas me perguntam onde eu estava que elas não me encontravam. Mas eu te pergunto: “onde você está?” Pois, a pior geração de todos os tempos não está te encontrando. A geração está perdida e arrasada e você está escondido por você mesmo. Mas quem tem luz não consegue se esconder. Imagine se o Sol decidir não aparecer hoje por estar com medo das trevas? As trevas são maiores que a luz, mas não são mais potentes. As trevas são infinitamente maiores, mas se tornam pequenas quando a luz resolve acender. Pense na candeia que não foi acesa dentro de você. Se jogarmos fora os medos, ansiedades, depressão, necessidade de aprovação e a forma como nos vemos, vamos explodir essa geração. Comecemos a insistir naquilo que faz sentido.

Quanto ao futuro, vamos perceber que outros vão tentar nos parar. Realmente é bem intrigante ver pessoas transbordarem. Vão começar a nos chamar por vários nomes para nos fazer parar. Essas pessoas não são más, elas somente não estão alinhadas com o que está em nosso coração. Se você se amar, vai amar outras pessoas e começará a transbordar. Todo rio que para de correr, vira represa. Quando vira represa, a fonte seca e vira lama ou vai jogar a água em outro lugar. Toda lama vira deserto e todo deserto vai ter que virar poço. Teremos que gastar a vida abrindo o poço. Depois do poço, vem a morte porque ele seca.

 

O mover não é seu!

 

Não frene o mover, pois ele não é seu. As pessoas fazem de tudo na vida para frenar aquilo que Deus falou para elas fazerem. Se quisermos parar o que o Criador mandou, seremos tirados do jogo. Se quisermos ser naturais, não podemos focar em lamas, desertos e poços. Deixe o rio fluir. Quando ele começar a fluir, ninguém vai conseguir segurar.

Quando eu tinha 9 anos, morei um ano com meu pai no garimpo. Foi uma experiência espetacular e fizemos várias descobertas. Encontramos muitas pedras preciosas, esmeraldas e ouro. Só que eu via as pessoas terem uma febre, a febre do ouro. Teria sido muito melhor caso meu pai tivesse tirado um ano para descobrir as riquezas dentro dele, ao invés das riquezas que havia dentro da terra. Quando descobrimos as riquezas que existem dentro de nós, não há quem possa nos tomar. A maioria das pessoas que estava lá em Alto Paraíso não achou nada. Mas se tivessem procurado dentro delas, teriam encontrado.

O segredo de acordar cedo é sair da zona de conforto e da frequência negativa das outras pessoas. Estamos saindo de uma zona de negatividade. 

Para transbordar, o primeiro passo é fechar a escassez. Depois, ter abundância e o terceiro é o transbordo. 

Ele é a prova da plenitude. Quando somos plenos, estamos vazando por cima. Para transbordar, ainda é preciso tirar a escassez e a estabilidade do nosso coração e também prosperar para chegar ao nível de transbordo. Fala aí, general: “O que queima dentro de você para que comece a transbordar ainda hoje?”.

Compre agora com desconto de até 30%

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Quer receber mais conteúdos?
Cadastre-se e receba antes de todo mundo!

Mais de 5 milhões de pessoas assistem os vídeos e acompanham os conteúdos de Pablo Marçal nas redes sociais todos os meses, ele se consolidou como uma autoridade na internet.

Pablo Marçal 2021 | Todos os direitos reservados

Preencha os campos abaixo para fazer sua inscrição