OS CÓDIGOS DA MONTANHA – PARTE 2

OS CÓDIGOS DA MONTANHA – PARTE 2

Na segunda parte eu falo do tempo e os códigos do topo. Continue comigo nessa subida!

Titi na área para terminar de entregar para você os códigos da montanha. 

Na segunda parte desse artigo, falo sobre o tempo na subida, o que é o topo e sobre ficar lá. Tem ainda as dicas do Titi para você que quer passar pela experiência de subir o pico dos Marins

 

Não subestime o tempo

Na primeira subida que fiz ao pico dos Marins com meus amigos, demoramos 11 horas para chegar ao topo. E ainda teve uma turma que ficou para trás e só chegou na manhã seguinte.

O tempo de chegada ao topo aumentava cada vez que alguém pensava em desistir e em cada parada que era necessária uma injeção de ânimo. Quando percebemos, já havia escurecido.

Não deixar ninguém para trás tem essa consequência. Alguns amigos quiseram sair da rota e, para trazê-los de volta, levou tempo. E depois ficamos sabendo que para chegar ao topo do Pico dos Marins era possível chegar mais rápido.

Então, me lembrei desse código: a direção é mais importante que a velocidade. Você pode até ir devagar, só não pode parar. Pode sair da rota para buscar quem está perdido, mas faça isso com quem faz sentido. A família é um desses casos. De que serve chegar ao topo e deixar a família para trás?

Aquilo que você complica durante a subida pode tomar um tempo precioso. O tempo da subida não é o mais importante, mas não o subestime. Tempo é vida!

 

A chegada no topo

Enfim, chegamos ao topo da montanha. É uma sensação muito boa! Para mim foi como uma visão do Trono de Deus, enxergar tudo por cima das nuvens.

Lá no alto tem um livro para você escrever seu nome. É como se fosse o Livro da Vida, mas esse é diferente pois você que escreve seu nome nele. O Livro da Vida já está escrito, mas muitos fazem de tudo para ignorar isso.

Antes de assinarmos nossos nomes, escrevi no caderno: os Generais do Reino chegaram aqui! Foi muito bom ver a alegria de cada um ao escrever seu nome, como sinal de missão cumprida!

 

O topo não é o seu lugar

Tem ainda um detalhe que pouca gente entende: o topo não é lugar de morar! Lá o ar é rarefeito e o clima é frio. Quando se chega lá, aproveita a vista, sinta como é estar lá, guarde todo o aprendizado e vá embora. Não queira viver no topo.

Nossa vida deve ser como uma subida, mas sempre há altos e baixos. Chegamos ao topo, aprendemos e depois descemos novamente. Se você chegou uma vez a um topo, sabe que mesmo se estive descendo, é capaz de subir e alcançar outro.

Nesse processo, é importante também aprender a descer de forma correta. Por isso, valorize suas costas (que é onde fica o peso da sua carga) e sua energia. 

Carregue apenas o que te interessa e tem importância, pois a descida também é pesada. Retire da mochila as mágoas e a ansiedade. Se sua descida for mais rápida, vai ter embalo para usar na próxima subida.

 

Dicas práticas sobre o percurso

A subida no Pico dos Marins é desafiadora e desgastante, assim como a escalada na vida. Muitos querem estar no topo, mas não se preparam para o processo.

Para quem quiser passar pela experiência e fazer a subida, deixo aqui algumas dicas sobre o processo:

  • Invista em bons equipamentos – Após poucos passos, vi algumas mochilas começarem a rasgar, pois não eram boas o suficiente. Uma pessoa do grupo resolveu ir com um tênis antigo. Depois de pouco mais de um quilômetro, o solado descolou e tivemos que parar e arrumar. 
  • Amarre bem os cadarços de seus tênis – parar para amarrá-los com frequência consome sua energia.
  • Trave a mochila na cintura – isso joga o peso na sua cintura e alivia suas costas. 
  • Use calçado de um número maior – importante especialmente para a descida, para não apertar seu pé.
  • Administre os recursos que geram energia – algumas pessoas beberam toda a água e esqueceram de guardar para a descida. Outros desanimaram porque não tinha o almoço como refeição. Não se apavore com o cansaço e o desgaste durante a subida.

Quem já fez uma subida como essa já sabia dessas dicas. Elas podem parecer óbvias e simples, mas para quem nunca foi, são poderosas.

Ao pegar as dicas de quem já chegou no topo, você está “comprando” seus erros ou experiências e pode chegar mais rápido nos resultados.

 

Resumindo os códigos

 

Ande com pessoas que te desafiem. Ouça conselhos e siga as direções de quem já chegou no resultado que você quer. Não existe nada impossível. 

Há coisas que ainda estão fora do seu alcance e você apenas não sabe como chegar lá. Você não precisa do como, mas do “quem”. Conecte-se com pessoas que já conseguiram, porque se alguém já fez, você também é capaz*!

Se ninguém chegou lá ainda, conecte-se com quem já foi o mais perto possível e seja o primeiro a obter o resultado. Assim, você pode ajudar outras pessoas a fazerem o mesmo! É algo gratificante e você investe no Reino, cuidando daquilo que há de mais importante para Deus: pessoas!

E você, já escalou o pico dos Marins? Já foi em outro lugar? Pegou algum código que eu ainda não sei? Deixe aqui nos comentários e ajude alguém com seu transbordo!

Tamo junto até depois do fim!

Meu blog tem ajudado você? Destravou alguma chave na sua cabeça? Me manda um direct pelo Instagram!

A culpa disso é só sua, mas eu vou saber que esses artigos têm sido a faísca para você tocar o terror na Terra!

Quer deixar de ser escravo do seu cérebro e governar pela alma seu corpo e sua vida? Pegue os códigos no meu artigo “Como Deixar de Ser Escravo”.

Pegue alguns códigos das conexões nesse artigo: ROLOU NO CLUBHOUSE – CONEXÕES PARA NEGÓCIOS

Compre agora com desconto de até 30%

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Quer receber mais conteúdos?
Cadastre-se e receba antes de todo mundo!

Mais de 5 milhões de pessoas assistem os vídeos e acompanham os conteúdos de Pablo Marçal nas redes sociais todos os meses, ele se consolidou como uma autoridade na internet.

Pablo Marçal 2021 | Todos os direitos reservados

Preencha os campos abaixo para fazer sua inscrição